Nosso
Blog

Compartilhar:

O que eu preciso saber antes de contratar um Plano de Saúde?

Antes de contratar um plano de saúde, você precisa entender quais são as suas necessidades, procurar uma operadora que corresponda às suas expectativas de atendimento e preço e que atenda na região que você mora. Essa não é uma tarefa fácil, mas neste post vamos te ajudar a encontrar o melhor plano de saúde para você e sua família!
Para saber se a operadora de planos de saúde que você encontrou é confiável e tem qualidade de atendimento reconhecida pelo público, consulte o número de registro na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Acessando o site da agência, você pode conferir os dados, verificar o desempenho da operadora e sua posição na lista de planos de saúde com mais reclamações dos consumidores.
Após encontrar operadoras de plano de saúde confiáveis, você precisa entender em qual forma de contratação de plano de saúde você se encaixa.  Existem basicamente três formas de contratação de plano de saúde: individual ou familiar, coletivo por adesão e coletivo empresarial.

Plano de Saúde Individual ou Familiar

Quando contratamos um plano de saúde por meio de um corretor autorizado ou diretamente com a operadora de planos de saúde, esse plano se enquadra no grupo de planos individuais ou familiares.
No plano de saúde individual ou familiar, a contratação é livre e há carência para o início do uso. A cobertura é conforme o contrato e o Rol de Procedimentos da ANS. A cobrança é feita diretamente pela operadora do plano ao consumidor.

Plano de Saúde Coletivo

Existem no mercado dois modelos de planos de saúde coletivos: por adesão e empresarial.
O plano coletivo por adesão é uma associação de profissionais ou sindicato que contrata o plano para você, portanto a adesão exige vínculo com essa associação ou sindicato. Também há carência para esse modelo de contratação, com exceção para quem ingressa no plano em até 30 dias da celebração do contrato ou no aniversário do mesmo.
A cobrança é feita pela associação, sindicato ou pela administradora de benefícios. A cobertura também funciona de acordo com o contrato e com o Rol de Procedimentos da ANS.
No plano coletivo empresarial, a contratação exige vínculo com empresa por relação empregatícia ou estatutária. Também há carência, com exceção de contratos com 30 ou mais beneficiários, e para quem ingressa no plano em até 30 dias da celebração do contrato ou da vinculação à empresa.
Assim como os modelos citados acima, a cobertura funciona de acordo com o Rol de Procedimentos da ANS e o contrato do plano de saúde. A cobrança é feita pela empresa ou pela administradora de benefícios.

O que é uma administradora de benefícios?

É comum, quando estamos pesquisando sobre planos de saúde, nos depararmos com termos que não compreendemos. Um dos que provocam mais dúvidas é a tal da administradora de benefícios.
A administradora de benefícios nada mais é do que uma empresa que executa uma parte do trabalho que seria da empresa, sindicato ou associação profissional contratante do plano de saúde.
A administradora de benefícios pode ser responsável pela emissão de boletos, por representar beneficiários em reuniões de negociação de ajustes das mensalidades junto à operadora do plano, entre outras atividades. A empresa que administra benefícios costuma receber uma parte do valor das mensalidades, segundo o que for negociado, e tem a responsabilidade de garantir o bom funcionamento do plano de saúde.

Quem pode ser beneficiário em um plano de saúde coletivo empresarial

No plano de saúde coletivo empresarial, os beneficiários podem ser os empregados ou servidores públicos, aposentados e demitidos, administradores, sócios e estagiários da empresa que contratou o plano de saúde. Como dependentes: familiares de até 3º grau consanguíneo e até o 2º grau por afinidade, além de cônjuge ou companheiro.

As mensalidades podem ser ajustadas quando a operadora quiser?

Um dos pontos mais relevantes a ser avaliado ao contratar um plano de saúde é a forma de reajuste das mensalidades. As operadoras não podem ajustar as mensalidades de acordo com a própria vontade.
Os valores podem mudar somente quando houver mudança de faixa etária, de acordo com as definições da ANS e, uma vez por ano, por variação de custos, definido conforme o contrato assinado entre a empresa contratante e a operadora de saúde.

Cobertura Assistencial

Outro ponto fundamental a observar antes de contratar um plano de saúde é a cobertura assistencial.  O Rol de Procedimentos da ANS define a cobertura obrigatória para cada segmentação, que vale para todos os contratos celebrados após 1º de janeiro de 1999, ou adaptados à Lei nº 9656/98.

Ambulatorial

Na cobertura ambulatorial, os serviços oferecidos compreendem consultas médicas em consultórios ou clínicas, tratamentos, exames e demais procedimentos ambulatoriais.

Hospitalar sem Obstetrícia

Estão garantidos os serviços de internação hospitalar, com exceção do parto, na cobertura hospitalar sem obstetrícia.

Hospitalar com Obstetrícia

Nessa cobertura, além dos serviços de internação hospitalar, também está incluso o atendimento ao parto, além da cobertura assistencial ao bebê recém-nascido durante 30 dias após o parto.

Referência

O plano referência, instituído pela Lei nº 9656/98, abrange assistência hospitalar com obstetrícia e médico-ambulatorial, além de acomodação em enfermaria.

Odontológica

A assistência odontológica garante consultas, exames, emergência e urgência odontológica, tratamentos e demais procedimentos (realizados em ambulatório) que estejam previstos no Rol de Procedimentos da ANS.

Como funciona a carência do plano de saúde?

É muito importante verificar os prazos de carência antes de contratar um plano de saúde. Carência é o tempo de espera antes de ser atendido pelo plano de saúde, após já ter assinado o contrato, para determinados procedimentos. Essa informação deve constar obrigatoriamente em seu contrato.
Para planos de saúde individuais ou familiares, contratados a partir de 1999 ou adaptados à lei, a operadora de plano de saúde pode exigir 24 horas de carência para casos de urgência ou emergência; 300 dias para partos a termo (com exceção de partos prematuros e decorrentes de complicações gestacionais); e 180 dias para demais situações.  

Planos coletivos empresariais têm carência?

Em planos com 30 ou mais participantes, os beneficiários que firmarem o plano em até 30 dias do contrato, não devem cumprir carência. Caso haja menos de 30 participantes ou a entrada no plano de saúde ocorra após esse período, a operadora de planos de saúde pode exigir o cumprimento de carência.

Assessoria especializada para plano de saúde

Pode parecer bem complexo no início, mas entender tudo isso antes de contratar um plano de saúde é fundamental.
Para resolver essa questão e se sentir mais seguro, saiba como a Dosea te ajuda a contratar o melhor plano de saúde para você e sua família!

Fonte:
Por: Dosea Seguros

Faça uma Cotação

Fale Conosco pelo WhatsApp
Comercial Stephane Silva (079) 99127-8894
Converse conosco no WhatsApp